Homem sobre como foi ser ‘comido vivo’ pela Anaconda: "Costelas explodidas"

Homem sobre como foi ser ‘comido vivo’ pela Anaconda: "Costelas explodidas"

Paul Rosolie realizou o evento em 2014.

Paul Rosolie é um conservacionista, autor e cineasta americano conhecido por sua dedicação à proteção da vida selvagem e à conservação ambiental. O seu trabalho, muitas vezes realizado nas selvas densas e perigosas da Amazónia, destaca a importância crítica de preservar alguns dos ecossistemas mais ameaçados e com maior biodiversidade do mundo. Mas uma vez ele realizou uma manobra perigosa – concordando em ser comido vivo por uma anaconda. Mas, em poucos minutos, quando sua cabeça começou a ser consumida, o Sr. Rosolie ligou para encerrar a façanha. Sua descrição da façanha ocorrida em 2014 se tornou viral recentemente.

“A última coisa que me lembro foi da boca dela escancarada e tudo ficou preto. Correio de Nova York citou-o dizendo.

“Ela se enrolou em mim e eu senti meu terno quebrar e meus braços se arrancando das órbitas”, disse ele ainda.

Rosolie lembrou que estava a poucos centímetros de explodir sua caixa torácica.

“O objetivo era mostrar às pessoas o poder dessas cobras com a missão de proteger seus habitats”, disse ele.

Anacondas são um grupo de grandes jibóias encontradas na América do Sul tropical. Eles são conhecidos por matar suas presas, comprimindo-as.

“Cada vez que você expira, você nunca recupera aquele espaço, você nunca mais inspira. Então você expira e a cobra aperta, e então quando você tenta inspirar, não há nada. ajuda. Foi assustador”, explicou Rosolie.

Segundo a National Geographic, levando em consideração o peso e o comprimento, a sucuri verde é a maior cobra do mundo, podendo atingir nove metros de comprimento e pesar até 227 kg.

Fornte

Comments

No comments yet. Why don’t you start the discussion?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *